Finlandês recoloca a Ferrari no pódio e brasileiro – com vazamento de óleo – pontua, ao contrário de Button


O GP da Bélgica de Fórmula 1 termina como começou: inusitado. A vitória de Kimi Raikkonen, da Ferrari, com Giancarlo Fisichella, da Force Índia, em segundo lugar, não influenciam na disputa pelo título da temporada. O que exerce força nisso: Rubens Barrichello chegou em sétimo lugar e o líder Jenson Button não pontou. A briga, que poderia ser melhor, está aberta.


Barrichello tinha tudo para ter sucesso na prova em Spa-Francorchamps. Mas falhou já na largada, aparentemente por problema de arranque em seu Brawn GP e despencou para o último lugar, o que lhe ajudou: cinco curvas depois, começaram os acidentes. E no bolo, quem saiu de cara da prova foi Button, atingido por Romain Grosjean (Renault) e Jaime Alguersuari (Toro Rosso), além do inglês Lewis Hamilton (McLaren).


Na recuperação e antecipando paradas, Rubinho subiu posições e quase não chegou ao final, pois a duas voltas do fim começou a vazar óleo de seu BGP001. Ele tirou o pé e conseguiu chegar ao fim. Seu carro ainda pegou fogo após parar nos boxes, mas nada grave, pois foi rapidamente controlado.


Quem também não teve um dia bom foi o espanhol Fernando Alonso, da Renault. Ele abandonou a corrida na 26.ª volta, devido a um problema na troca do pneu do carro em sua primeira parada nos boxes – o tampão do pneu dianteiro esquerdo não saiu, estava entortado após toque na largada – e ele perdeu muito tempo. Ao voltar, continuava com problemas e a equipe ordenou que voltasse para encerrar sua partircipação.


Com a vitória, Raikkonen põe fim ao jejum de mais de um ano sem ganhar (a última tinha sido no GP da Espanha de 2008). E cai outro tabu: a Force Índia, com o segundo lugar de Fisichella, soma pontos pela primeira vez após 24 GPs disputados (estreou no GP da Austrália do ano passado).


Sem somar pontos, Button segue em primeiro com os mesmos 72 pontos. Já Barrichello chega a 56 pontos, com os dois a mais – pressionado pela dupla da Red Bull Sebastian Vettel (terceiro na Bélgica), com 53, e Mark Webber, com 51,5. Ainda faltam cinco provas para o final da temporada e a próxima é o GP da Itália, em Monza, no dia 13 de setembro.


 


(Fonte:AE)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui