“Jesus te ama” por onde anda o ex-árbitro Josias Mendes autor desta frase histórica?

“Jesus te ama” por onde anda o ex-árbitro Josias Mendes autor desta frase histórica?. Quando as coisas estavam complicadas dentro das quatro linhas, ele utilizava a frase: “Jesus te Ama”, que era uma maneira de baixar a temperatura da partida e desarmar o jogador ou dirigente para seguir o jogo. Utilizando desta estratégia ele apitou 14 anos no quadro de Arbitragem da Federação Tocantinense de Futebol (FTF), encerrando sua carreira como árbitro de futebol profissionalmente em 2007. Estamos falando de Josias Mendes da Silva.

Dados pessoais

Natural de Goiatins, na Região Norte do Tocantins, com uma  população estimada em 2018 de 12. 942 habitantes, Josias Mendes, é casado com Terezinha de Jesus e pai de três filhos,  Josias Mendes da Silva Filho (15 anos), Maria Eduarda Pinto da Silva Mendes (10 anos) e João Pedro da Silva Mendes (5 anos). Mora em Palmas e exerce a função de Agente de Trânsito na Capital (primeiro funcionário desde que surgiu a Agência).

Feras da arbitragem tocantinense: (E/P/D) , Edilson Frasão, Fábio Pereira, Josias Mendes e Neto Florentino – Arquivo Pessoal/Fotos

Carreira

Josias Mendes disse que iniciou no apito no de 1989, apitando jogos em Araguatins, Marabá, Itupiranga. Dois anos depois (1991), veio com a família morar em Palmas. Conta ele que não demorou recebeu o convite do presidente da Liga de Palmas, Delfino Serpa de Freitas, o Pitty, para apitar jogos na Capital como Municipal e Amador.

Disse que permaneceu no quadro de Arbitragem da FTF do ano de 1993 a 2007. Neste período comandou vários jogos decisivos do Tocantinense como a final de 1998 entre Alvorada 0 x 0 Palmas (5 x 3) Alvorada nos pênaltis, no campo Morada do Sol, em Taquaralto: Alvorada campeão Tocantinense.

Nacional

Já no âmbito nacional, Josias Mendes lembra-se de uma partida que comandou do Campeonato Brasileiro da Série B entre Anapolina x Portuguesa, no Estádio Jonas Duarte, em Anápolis (GO). No quadro nacional permaneceu, seguindo ele, cerca de dez anos.

Outro fato importante na carreira do juiz foi ter apitado a partida inaugural do Estádio Nilton Santos, no dia 12/10/2000 – entre as equipes da Seleção do Tocantins contra a Seleção Brasileira Sub-20, que terminou em 2 x 2.

Camburão

Questionado já havia saído de campo dentro de um camburão da Polícia Militar, Josias Mendes não hesitou na resposta “O cara que apitou jogo de futebol e nunca saiu num camburão ele não foi árbitro de futebol”, ressaltou. Disse que por várias vezes teve que sair ao lado dos policiais e chegou a dizer que perdeu as “contas”, isso pela Copa Sudeste, Tocantinense, entre outros, principalmente nas cidades de Dianópolis, Araguaína, Gurupi, Porto Nacional. “É bom frisar que isso ocorria no passado porque os dirigentes dos clubes destas cidades achavam que o time da casa sempre precisa ganhar e quando o time deles não conseguia este objetivo quem pagava as contas erro o trio de arbitragem. Um absurdo. Mas hoje já mudou muito”, comentou.

Parou em 2007

Sem citar muitos detalhes disse que encerrou a carreira em 2007, após ter aceitado o convite de uma carona de um dirigente do Gurupi para Palmas após uma partida do Camaleão do Sul diante do Araguaína. No outro dia quando chegou ao seu trabalho na prefeitura choveu de telefonemas, como do presidente da FTF, Leomar Quintanilha, José Wilson Soares e Gasparino Bezerra para saber se era verdade que eu vindo de carona com o dirigente do Gurupi e respondi que sim, mas dali em diante Josias Mendes percebeu que já não fazia mais parte do quadro e ofereceram a ele apitar na base. “Fui. Obrigado. Agradeceu ao pessoal da FTF e parou com o apito, até porque o jogo em questão foi tudo normal. A bobeira minha foi pegar a carona do cara que veio para Palmas que era dirigente do Gurupi”, finalizou.

Bate pronto

Durante sua carreira como árbitro de futebol no Tocantins, qual foi ou quais foram os atletas considerados chatos para apitar nas quatro linhas? Fábio Canela e Dudé. Os dois reclamavam muito.

Qual o jogador ou quais os jogadores considerados gente boa?  Moacri e Quezado (Palmas), Ceará, Edson e Preá (Interporto). Os caras eram um verdadeiro alicerce em campo. Eles ajudavam a acalmar o ambiente e respeitavam as decisões do apito.

Qual ou quais dirigentes eram considerados mais chatos?

Otoniel Andrade (Interporto), César Hallun (Araguaína) e Romário (Paraíso). Os dirigentes não davam sossego para gente, sempre reclamando.

Qual ou quais dirigentes considerados gente boa?

Dorabel José Sousa (MEC) e  Professor Durval (Intercap).

Qual o melhor campo que apitou?

Estádio Nilton Santos (estrutura é a melhor).

Qual o pior campo para trabalhar?

Campo do Aureny I (no começo de Palmas tinha muito buraco lá não era fácil).

Qual o melhor juiz que viu apitando no futebol?

Dulcídio Wanderley Boschilia (falecido no dia 14 de maio de 1998). O cara dava show e sabia comandar uma partida.

Qual o melhor juiz do futebol Tocantinense?

Enivaldo Ribeiro de Almeida. O cara tinha1m30 (rs), mas tinha domínio da situação e um estilo muito legal de comandar a partida. Baixinho bom de apito.

Clube de Coração?

C.R. Vasco da Gama (hoje posso falar não apito mais)

ENTREVISTA NA CBN

https://www.cbntocantins.com.br/programas/cbn-esportes/cbn-esportes-1.318022/ex-%C3%A1rbitro-de-futebol-fala-da-carreira-e-relembra-grandes-fatos-da-modalidade-no-tocantins-1.1760285

www.aloesporte.com

2 COMENTÁRIOS

  1. Professor Josias Mendes!!!

    São pessoas como você e outros desbravadores do amadorismo do futebol tocantinense, sobretudo da arbitragem que nos fizeram acreditar em dias melhores como tivemos nos últimos 10 anos!

    Abraços!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui