Colocar um judoca tocantinense nas Olimpíadas do Rio de Janeiro em 2016; qualificar professores e técnicos para participação em torneios regionais e nacionais, além de implantar projetos de iniciação esportiva em comunidades carentes. Este é o objetivo do presidente da Federação de Judô do Estado do Tocantins (Fejet), Ton Pacheco.


Mas segundo ele, para que isso aconteça é preciso de um apoio maior do poder público e ele revela que o deputado estadual Raimundo Moreira entrou com uma emenda parlamentar no valor de R$ 60 mil e já publicada no Diário Oficial do Estado no dia 8 de abril e que ainda não foi liberado, pois está esperando saldo de empenho da Secretaria Estadual do Esporte (Sespo). De acordo com ele, esta emenda é institucional e que visa apenas o bem comum do judô tocantinense.


Segundo Pacheco, este dinheiro serviria e muito para ajudar o judô em seu planejamento. Ele ressalta, no entanto, que para realizar alguns intercâmbios com Goiás e o Distrito Federal precisaria de mais tatames, pois os existentes são insuficientes para atender a demanda desta magnitude.


?Este valor da emenda parlamentar nos ajudaria a estruturar a modalidade, pois temos que adquirir placares, balanças, notebook, cronômetros e ainda garantir as despesas de viagens para realizar os intercâmbios?, pontuou o presidente as necessidades neste momento da Fejet. Pacheco destacou ainda que na última semana de julho estará trazendo pela segunda vez a Palmas, o professor Paulo Duarte, responsável pelo maior número de atletas nas seleções olímpicas do Brasil até hoje, entre eles Rogério Sampaio, Leandro Guilheiro e Daniela Zangrano. ?Nosso trabalho é árduo, nossa intenção de trazer o professor Paulo Duarte é justamente pensando em qualificar nossos atletas e professores visando às Olimpíadas de 2016?, explicou o dirigente lembrando que 1997 o medalhista olímpico Aurélio Miguel ajudou a federação a dar o pontapé inicial do judô no Tocantins. Na época Aurélio Miguel veio a convite do amigo Ton Pacheco.


Estrutura
O presidente ressalta ainda que para os atletas tocantinenses ter alguma chance de participar das seletivas para as Olimpíadas de 2016 será preciso muito treinamento e uma boa estrutura. E lembra que esta falta de estrutura fez o judô tocantinense perder um de seus principais atletas para o Esporte Clube Pinheiros de São Paulo, Felipe Landgraf.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui