Depois de fazer 5 a 0 no Atlético (MG), no Mineirão, no último domingo, o Cruzeiro encontrou bem mais dificuldade no Estádio La Bombonera, em Buenos Aires, nesta quarta-feira. A equipe brasileira foi dominada pelo Boca Juniors durante quase toda a partida, mas escapou de sofrer uma goleada, marcou no final e perdeu por 2 a 1, resultado que a deixa em boas condições para a partida de volta.


Na próxima quarta-feira, em Belo Horizonte, os comandados de Adílson Batista precisam de uma vitória por 1 a 0 ou dois gols de diferença para avançar às quartas-de-final da Copa Libertadores. Os argentinos jogam pelo empate para enfrentar Lanús ou Atlas na próxima fase da competição.


Melhor desde o apito inicial, o Boca Juniors abriu o placar aos 6min do primeiro tempo, com Riquelme, e ampliou aos 19min da etapa final, com Dátolo. Perdido em campo e vendo o adversário perder oportunidades claras, o Cruzeiro conseguiu descontar aos 32min, em chute de Fabrício desviado pela zaga anfitriã.


A partida acabou antes do previsto por conta de um objeto atirado contra um dos assistentes do árbitro uruguaio Jorge Larrionda. Atingido aos 46min do segundo tempo, o bandeira sofreu um corte na testa, o que fez o juiz desistir do restante dos acréscimos programados para o confronto.


O jogo


Desde o início do confronto, ficou clara a superioridade do Boca. Os donos da casa encurralaram os visitantes e abriram o placar logo aos 6min, quando González recebeu passe na ponta direita e cruzou rasteiro. A defesa do Cruzeiro ficou assistindo e Riquelme bateu rasteiro para vencer Fábio.


Os argentinos seguiram no ataque e estiveram muito perto de ampliar, mas a bela troca de passes dentro da área foi mal concluída por Palermo. Já no final do primeiro tempo, Maidana se atrapalhou na tentativa de cortar cruzamento e colocou a mão na bola, mas o árbitro uruguaio Jorge Larrionda apontou apenas escanteio.


Após o intervalo, a situação ficou ainda pior para o Cruzeiro. O Boca passou a dominar totalmente a posse de bola e criar uma série de oportunidades. Em cinco minutos, Palacio e Palermo já haviam desperdiçado chances claríssimas dentro da grande área.


Larrionda não apitou pênalti claro de Espinoza em Palacio, mas a pressão acabou resultando em bola na rede. Aos 19min, Dátolo recebeu passe de Riquelme em posição duvidosa e deu belo corte em Thiago Heleno antes de fuzilar Fábio. O gol não mudou o panorama do jogo, e Palermo voltou a perder oportunidade clara, cara a cara, batendo na trave. No rebote, González pegou mal.


Perdido em campo, o Cruzeiro achou um gol. Aos 32min, Fabrício recebeu cobrança de escanteio no bico da área e arriscou. A bola desviou em González e balançou a rede de Caranta. Daí em diante, o time dirigido por Adílson Batista conseguiu controlar o ímpeto argentino e levar para o Brasil a possibilidade de classificação com vitória por 1 a 0.


(Fonte: Terra)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui