O Cruzeiro já não é aquele time frágil na defesa, como no Brasileiro do ano passado, e tampouco perdeu a força ofensiva. Demonstrou isso na final do Campeonato Mineiro, goleando o rival Atlético por 5 a 0. Ao assumir o comando técnico, Adílson Batista tinha como missão tornar a equipe mais equilibrada. No torneio de 2007, a Raposa de Dorival Júnior teve o melhor ataque, mas a sexta pior defesa entre os 20 participantes.


Neste ano, o time já demonstrou evolução na defesa na conquista do Campeonato Mineiro e durante a Taça Libertadores. O maior destaque do Cruzeiro, no entanto, está entre a defesa e o ataque. O meia Ramires, um dos poucos jogadores a manter uma regularidade no ano passado, tem atuado bem e ainda marcado gols importantes.


Um time de reforços
Soma-se a isso o bom desempenho do trio ofensivo, formado por Wagner – um meia protegido por uma trinca de volantes – e os atacantes Guilherme e Marcelo Moreno. O clube se reforçou com quase um time inteiro: o goleiro Andrey, o lateral-direito Apodi, o lateral-esquerdo Jadilson, os zagueiros Espinoza e Thiago Gosling, os volantes Elicarlos, Fabrício e Henrique e os meias Marquinhos Paraná e Camilo.


O grande problema do técnico cruzeirense nesta temporada tem sido repetir a escalação, já que o elenco vem enfrentando seguidos problemas de lesão. Na partida contra o Caracas, pela Libertadores, Adílson pôde contar com apenas 15 dos 25 jogadores inscritos.


Curiosidades:
Maior vitória: 7 x 0 Bahia (2003)


Maiores derrotas: 0 x 5 São Paulo (1997) e 0 x 5 Santos (1983)
Fregueses: Grêmio (14 vitórias, 8 empates e 5 derrotas) e Portuguesa (13 vitórias, 9 empates e 4 derrotas)


Algozes: Atlético-MG (11 vitórias, 15 empates e 15 derrotas) e São Paulo (7 vitórias, 11 empates e 18 derrotas)



O time: Fábio, Jonathan, Espinoza, Thiago Heleno e Jadilson;Ramires, Fabrício, Charles e Wagner; Guilherme e Marcelo Moreno


(Fonte:Fonte: Globo)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui