Cadê Enivaldo Ribeiro de Almeida um dos principais nomes do apito tocantinense na década de 90 e 2000

Por onde anda o árbitro Enivaldo Ribeiro de Almeida (Enivaldinho), que comandou 11 finais entre Copa Tocantins e Campeonato Tocantinense. Foi o fundador e o primeiro presidente da Associação Tocantinense de Árbitros de Futebol do Tocantins (ATAF), também dirigiu por quatro anos a Comissão Estadual de Arbitragem do Tocantins, hoje a CEAF. Foi o primeiro árbitro do Tocantins a apitar fora do Estado em competições nacionais. Encerou a carreira como árbitro de futebol em 2005. Vamos conhecer um pouco desta história de um dos primeiros árbitros do Estado do Tocantins entre a Era Amadora (1989) e a Profissionalização (1993).

Enivaldo Ribeiro (C), apesar do tamanho não se intimidava com os jogadores e era muito respeitado em campo – Fotos: Arquivo Pessoal

Trajetória
Enivaldo Ribeiro de Almeida, o Enivaldinho como era conhecido pelos jogadores e pela imprensa quando apitava profissionalmente iniciou sua carreira de árbitro de futebol ainda na Era Amadora do Futebol do Tocantins durante o 1º Campeonato Amador realizado em 1989. Vale destacar que profissionalização ocorreu em 1993. Enivaldinho se recorda qual era o jogo que trabalhou: foi Miracema x Araguaia de Araguaína. Este confronto aconteceu na cidade de Miracema. Ele trabalhou na função de auxiliar (hoje popularmente conhecido como assistente), mais neste jogo quem apitou foi o senhor João Augusto.

Primeira partida
Mas a primeira partida com o apito na boca foi entre as equipes do Sucan de Porto Nacional x Alvorada. Ele recorda ainda que neste mesmo ano esteve comando a final em Colinas. “Como árbitro de futebol comandei 200 partidas em toda minha carreira profissional”, enumerou  o apitador.

Competições nacionais
Por ser um dos principais nomes do Tocantins na arbitragem naquele momento, Enivaldo Ribeiro de Almeida ressaltou que no Tocantins foram 11 finais que ele comandou entre Copa Tocantins e Campeonato Estadual. Também ganhou espaço no cenário nacional, onde apitou oito jogos pelo Campeonato Brasileiro da Série C.

Foram mais três jogos pela Copa do Brasil, além de outras seis partidas como assistente, também na Copa do Brasil. “Eu o saudoso Joacy Saraiva fomos os primeiros árbitros do Estado a atuar fora do Tocantins em competições nacionais como no jogo entre Taguatinga de Brasília e Sport (PE), em jogo válido pela Copa do Brasil”, comemorou, finalizando e dizendo que pendurou o “apito” em 2005.

Mais pegajoso, gente boa…
Segundo Enivaldinho, o atleta mais “pegajoso” era o Juscelino, do Kaburé (Colinas), porém, muito educado. O mais mais calmo, o chamado gente boa era o goleiro Gilmar do Alvorada. O dirigente mais chato era Fernado Halun, do União Araguainense. Melhor dirigente era o Walter Borges, do Palmas.

O jogo mais emocionante da carreira foi Kaburé x Flamengo, pela Copa do Brasil. Neste jogo Enivaldinho trabalhou como assistente. O Flamengo venceu o Kaburé com placar de 1 a 0, no Wilson Alves Ferreira (Bigodão), na Fase oitavas de final da Copa do Brasil 1995.

 

Jogo com mais medo
Foi uma partida do Amador entre Palmeirópolis x Aliança. O time visitante foi campeão. Por outro lado, uma das maiores alegria foi ser o primeiro instrutor do Assistente Fifa Fabio Pereira, em Augustinópolis. Enivaldinho participou de vários congressos em Brasília, São Paulo e Rio de Janeiro como árbitro e presidente da CEAF.

 

 

 

Por onde anda
Enivaldo Ribeiro de Almeida, é casado, tem cinco filhos e, atualmente trabalha na Secretaria de Saúde de Miranorte, onde exerce a função de Chefe Administrativo.

Perfil
Nome: Enivaldo Ribeiro de Almeida
Apelido: Enivaldinho
Data de nascimento: 18/11/1966
Cidade: Miranorte
Casado: pai de 5 filhos

Algumas finais comandas por Enivaldo Ribeiro de Almeida

(Fonte: Arquivo/ Reinaldo de Jesus Cisterna/Revista do Palmas Campeão Estadual 2000)

www.aloesporte.com

 

 

 

 

 

www.aloesporte.com

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui