O Atlético-MG completa, hoje, um século de história. A primeira página foi escrita no dia 25 de março de 1908, quando estudantes trocaram um dia de aula por uma reunião no Parque Municipal de Belo Horizonte. Naquele dia, nasceu o Athlético Mineiro Football Club, que viraria Clube Atlético Mineiro cinco anos mais tarde.



Foi o ponto de partida para cem anos repletos de momentos marcantes. Aberto a todas as classes sociais desde sua fundação, o clube atraiu rapidamente um grande número de seguidores, decisivos na conquista de 39 campeonatos mineiros e outros títulos importantes, como o Campeonato Brasileiro de 1971 e a Série B de 2006.


Logo no início da construção de sua história vitoriosa, o Atlético contou com o talento de um escritor. Aníbal Machado – que viria a publicar contos como ”Viagem aos seios de Duília” – anotou o primeiro gol da agremiação, em 1909, na vitória por 3 a 0 sobre o Sport Futebol Clube.


O Atlético conquistou o primeiro campeonato oficial de Minas Gerais, em 1915, mas viu o então arqui-rival América levar o troféu nos dez anos seguintes. Para encerrar o jejum, em 1926, contou com o surgimento do ”Trio Maldito”, formado por Mário de Castro, Said e Jairo. No ano seguinte, bicampeonato, com direito a goleada por 9 a 2 no Palestra, futuro Cruzeiro.


Outro capítulo importante na história do clube, que seguiu colecionando títulos estaduais, foi a inauguração do Estádio Presidente Antônio Carlos, em 1929, motivo de orgulho para os torcedores. Enquanto a capacidade de 5 mil espectadores foi suficiente, o local serviu de palco para as apresentações alvinegras.


Mantendo sua rotina de conquistas, o Atlético se credenciou como representante mineiro em um campeonato interestadual, que contou com a participação de Portuguesa (campeã paulista), Fluminense (campeão carioca) e Rio Branco (campeão capixaba). Com Guará – um dos grandes jogadores de sua história -, o time de Belo Horizonte triunfou e levou o título de Campeão dos Campeões.


A conquista é mencionada no hino da agremiação, assim como o título de Campeão do Gelo. Embalada pelos triunfos nos estaduais de 1946, 1947, 1949 e 1950, o time de Kafunga, Carlyle e cia. excursionou pela Europa em 1950, enfrentando baixas temperaturas e derrotando adversários de França, Bélgica, Alemanha e Áustria.


A década de 50 foi alvinegra em Minas Gerais, com direito a um pentacampeonato, mas o Cruzeiro, de Tostão, tomou as rédeas nos anos 60. Foi só com a chegada do técnico Telê Santana, em 1970, que a massa atleticana voltou a vibrar com títulos importantes e um time envolvente, com jogadores como Dario, Lola, Vantuir e Grapete.


De todos os troféus levantados durante a passagem do treinador – que ficou até 1976 – nenhum é lembrado com tanto carinho quanto o do Brasileiro de 1971. Com um gol de Dario, o Dadá Maravilha, o Atlético fez 1 a 0 no Botafogo no último jogo e assegurou a conquista da competição que inaugurou o atual Campeonato Brasileiro.


Já no final da década de 70, a agremiação montou um de seus melhores esquadrões. Principal artilheiro da história do clube, Reinaldo atuou ao lado de Toninho Cerezo, Éder, Luizinho, Paulo Isidoro, João Leite, Nelinho e Palinha, conquistando o hexa mineiro entre 1978 e 1983. No Brasileiro, o time bateu na trave e ficou com o vice-campeonato em 1977 e 1980.


Desfeita a equipe, o Atlético ainda levou alguns títulos mineiros e terminou a década de 80 com sete dos dez troféus estaduais. Já os anos 90 não foram dos mais vitoriosos para os alvinegros, que falharam na tentativa de repetir o título brasileiro de 1971. No período, eles levaram a Copa Conmebol em 1992 e 1997.


A primeira metade dos anos 2000, no entanto, fez os torcedores ficarem com saudade da década anterior. Após o título mineiro de 2000, o Atlético acumulou uma série de fracassos, terminou o Campeonato Brasileiro de 2005 em 20º lugar e foi rebaixado para a Série B.


No ano seguinte, o clube iniciou sua recuperação. Empurrado pela torcida, sempre presente em bom número nas partidas, levou o título da segunda divisão e retornou à elite do futebol nacional. Ainda em festa pela conquista, triunfou sobre o arqui-rival Cruzeiro na final do Mineiro de 2007.


Assim, o Atlético chegou aos cem anos de história. Em 2008, ano do centenário, o clube tem alguns desafios pela frente. Sob comando do técnico Geninho, os jogadores terão de mostrar a vontade dos amadores que fundaram o Athlético Mineiro Football Club, no Parque Municipal, para obter sucesso na temporada. 
  


(Fonte: Terra)
 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui