Porto Nacional vai receber núcleo do Projeto Viva Vôlei da FTV e CBV

A Prefeitura de Porto Nacional e a Federação Tocantinense de Voleibol (FTV) formalizaram essa semana Termo de Compromisso para implantação do Programa Viva Vôlei na cidade.

O prefeito Ronivon Maciel, o secretário de esportes Capitão Diógenes e o presidente da FTV Ricardo Abalém assinaram o documento já chancelado pela Confederação Brasileira de Voleibol (CBV) e o Instituto Viva Vôlei. O ato ocorreu em ambiente isolado, sem a participação de convidados em função da pandemia.
“Será uma grande oportunidade para nossas crianças de socializar e praticar o voleibol. Esse Programa é um sucesso nacional e Porto Nacional agradece a CBV, a FTV e o Banco do Brasil pela confiança em nossa Gestão”, ressaltou o prefeito Ronivon.

Prefeito Ronivon Maciel (C), o secretário de esportes Capitão Diógenes (D) e o presidente da FTV Ricardo Abalém
Prefeito Ronivon Maciel (C), o secretário de esportes Capitão Diógenes (D) e o presidente da FTV Ricardo Abalém (E) seguram o documento da parceria – Divulgação/FTV

Assinatura

Mesmo com as restrições impostas pela pandemia os trabalhos de implantação já tiveram inicio a partir da assinatura. A confecção e personalização do material esportivo já está sendo providenciada e a FTV prevê a capacitação dos profissionais que atuarão no Programa para os próximos 30 dias. As inscrições para participação das crianças devem ocorrer assim que houver segurança sanitária, com a liberação por parte dos poderes públicos para a prática esportiva.
“A saúde das crianças e dos profissionais envolvidos é prioridade. Com a assinatura todos os procedimentos cabíveis estão sendo adotados, mas a FTV vai liberar o funcionamento das atividades somente com o aval dos órgãos de controle e dos pais das crianças. Aguardaremos o tempo necessário para garantir a segurança de todos”, destacou o presidente da FTV Ricardo Abalém.

Fruto de parceria

O núcleo, que atenderá de 200 a 300 crianças de 7 a 14 anos, funcionará na quadra poliesportiva da Praça da Juventude, no bairro Parque da Liberdade. O Programa em Porto Nacional é fruto de uma parceria entre a Prefeitura Municipal, CBV, FTV e o Banco do Brasil. O Kit esportivo (bolas, coletes, redes) são patrocinados pelo Banco do Brasil. A Prefeitura de Porto oferece os recursos humanos para o programa (professores e monitores). A FTV é responsável capacitação dos profissionais e a supervisão do núcleo, gerando ao Instituto Viva Vôlei os relatórios mensais das atividades.
“Aguardamos o início das atividades do Viva Vôlei com muita ansiedade em atender nossas crianças. Assim que iniciamos a Gestão procurei algumas Federações para promover as parcerias necessárias pra desenvolver o esporte em Porto Nacional. Algumas delas já nos respondem positivamente, como o Voleibol”, afirma o secretário de esportes Diógenes.

Técnico da Seleção Brasileira de Vôlei , Renan Dal Zotto durante evento em Palmas em 2012 – Divulgação

CBV/Ídolos

Para o início das atividades do programa a CBV deve enviar ao estado um dos ídolos do voleibol brasileiro para a participar da cerimônia de lançamento e interagir com as crianças. No Tocantins, onde o núcleo funciona desde 2013, já vieram prestigiar as crianças grandes ícones da modalidade como o treinador da seleção brasileira masculina Renan Dalzotto e os campeões olímpicos Marcelo Negrão, Sandra Pires e Maurício Lima.

Educar e socializar as crianças através do esporte

O VivaVôlei é um Programa de iniciação ao voleibol cuja diretriz é educar e socializar meninos e meninas de 7 a 14 anos através do esporte. O Projeto foi iniciado em 1999 pela Confederação Brasileira de Voleibol e em 2003 a CBV criou o Instituto VivaVôlei, que é qualificado como Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP), para gerenciar o Programa.

O programa VivaVôlei instituiu o “mini-vôlei” como método de iniciação simplificado e adaptado às capacidades e necessidades das crianças, tendo como princípio básico a formação lúdica, com formação de turmas mistas, adequação do tamanho da quadra, do peso da bola, altura da rede e das regras do jogo a esta faixa etária. Através de sua força atrativa e complexidade psicomotora, a atividade auxilia no ensino esportivo, contribuindo para o desenvolvimento físico, social, intelectual e emocional da criança, dentro de princípios de estímulo ao espírito de cooperação e a competições não-agonísticas.

Ordem Pública

O Ministério da Justiça, por meio da Secretaria Nacional de Segurança Pública, integrou o VivaVôlei ao Plano Municipal de Ordem Pública, como atividade de prevenção à violência e de integração social da criança e do adolescente.

O VivaVôlei está presente em todas as regiões do Brasil. Atualmente, são mais de 70 Centros em atividade, atendendo à cerca de vinte e cinco mil crianças e adolescentes de comunidades carentes em 17 estados brasileiros, gerando cerca de trezentos e cinquenta empregos diretos e indiretos. As escolas atendidas apresentam, como diferencial, o fato de serem as únicas devidamente aparelhadas para o ensino do mini vôlei ao público infantil no Brasil. (Fonte: Ascom FTV)

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui