Sensei Chico (E) e Tom Pacheco
Sensei Chico (E) e Ton Pacheco no último encontro dia 6 de fevereiro em São Paulo – Divulgação

Federação de Judô do Estado do Tocantins lamenta a morte do Sensei Chico

A Federação de Judô do Estado do Tocantins (Fejet) informa aos afiliados, com sincero pesar, o falecimento de Francisco de Carvalho Filho, o Sensei Chico do Judô, como era mais conhecido no mundo judoísta.

Transplantado de um rim há um ano e já tendo sido submetido a um transplante de fígado anteriormente, o Sensei Chico estava internado no Hospital do Rim, na capital São Paulo, e, na tarde desta quarta-feira, 24, faleceu em decorrência de complicações provocadas pela Covid-19.

Kodansha de 8º Dan, Sensei Chico, que tinha 70 anos, era o atual presidente da Federação Paulista de Judô e já foi vice-presidente da Confederação Brasileira de Judô (CBJ), entidade para a qual, em 2021, concorreria à presidência. No Tocantins, o legado do Chico do Judô fica a cargo do Sensei Daniel Iglesias, faixa preta de 2º Dan.

A Fejet, por meio do presidente da Federação, o Kodansha de 6º Dan Georgton Thomé Bujar de Moura Pachêco, presta as devidas condolências a todos os familiares, amigos e alunos do Francisco de Carvalho Filho, o Sensei Chico do Judô, que deixou cinco filhos e sete netos.

Tom Pacheco (E) e Sensei Francisco
Ton Pacheco (E) e Sensei Francisco durante um evento nacional do Judô “Eu o admirava muito, conversávamos quase que diariamente e ele me incentivava muito” – Divulgação

Último encontro

O presidente da Fejet, Ton Pacheco disse que no último dia 6 de fevereiro, participou de uma reunião com sensei Chico em São Paulo, para a composição da chapa para concorrer a Confederação Brasileira de Judô (CBJ).
“Ele se referiu a mim como seu fosse um filho. Eu o admirava muito, conversávamos quase que diariamente, ele me incentivava. Depois que eu parei de competir ele dizia que eu tinha que assumir a Federação de Judô, que tinha que candidatar a vereador, pois pessoas boas e corretas tem que assumir cargos importantes”, ressaltou o professor Ton Pacheco.
Disse ainda que o Sensei Chico lhe dava vários conselhos e posições que tínhamos que tomar enquanto presidentes de federações. “Eu admito que se misturava a emoção com a razão trabalhando junto com ele”, finalizou lamentando a morte do amigo.

[Coordenação de Comunicação da Fejet, com informações do Site Alôesporte]

www.aloesporte.com

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui