Professor da modalidade de beack tennis em Palmas, Felipe Furst
Professor da modalidade de beach tennis em Palmas, Felipe Furst – Fotos: Denniego Araujo/Divulgação

Beach Tennis vira febre no Tocantins e veja o crescimento da modalidade 

É difícil precisar quantos praticantes existem da modalidade de Beach Tennis (BT) no Estado do Tocantins atualmente, mais precisamente em Palmas, onde virou “febre” um verdadeiro boom.

Segundo o professor e praticante do Beach Tennis, Felipe Furst, hoje, Palmas conta com 14 quadras de BT somente em clubes/academias, sem contar as quadras públicas e particulares.

Furst lembra que em 2011, 2012 teve a primeira iniciação do esporte no clube AABB por iniciativa própria de tenistas de quadra que souberam que o BT estava virando febre nas areias de praia do Brasil.
“Cerca de 3 a 4 anos atrás, o esporte foi ganhando mais notoriedade, ganhando quadras reservadas para a pratica do BT neste clube, já mencionado assim como muitos adeptos começaram a construir quadras particulares em casas, chácaras, entre outros locais”, destacou.

Crescimento da modalidade

Para o professor Furst, hoje é difícil precisar quantos praticantes da modalidade existem em Palmas devido ao enorme crescimento que o esporte teve especialmente nesse ano. Segundo ele, um dos fatores que permitiu seu rápido crescimento é que, mesmo sendo um ano atípico de pandemia do coronavírus (Covid-19), por ser um esporte ao ar livre, e que as pessoas conseguem praticar com um certo distanciamento um do outro, facilitou a adesão à modalidade.
“As pessoas ficaram e, ainda estão com um certo receio de praticar exercícios físicos, em locais fechados ou esportes de contato, por exemplo”, explicou ele, dizendo que em Palmas deve contar com mais de 500 praticantes da modalidade, dado esse estimado em conversa com alguns proprietários dos clubes de BT.

História do Beach Tennis no mundo e no Brasil

O beach tennis foi criado em meados de 1987 na província de Ravennana, na Itália. Em 1996 o esporte começou a se profissionalizar. Atualmente, este esporte tem uma mistura do tênis tradicional, vôlei de praia e badminton e suas regras e práticas vêm se modificando ao longo dos anos. Segundo a ITF ele é praticado por mais de 500 mil pessoas espalhadas em todos os continentes, independentemente de sexo e idade.

A modalidade chegou ao Brasil em 2008 no estado do Rio de Janeiro. Desde então, o beach tennis vem crescendo rapidamente para outras cidades litorâneas brasileiras. Ganhou popularidade, inclusive, nas cidades não praianas, como Belo Horizonte, Brasília e Araraquara. Entre os locais onde há um maior número de praticantes estão Rio de Janeiro, Fortaleza, Santos, Vitória, Florianópolis, Porto Alegre, Mogi das Cruzes, Guarujá, João Pessoa, Salvador , Campina Grande, Cachoeira de Itapemirim, Novo Hamburgo, Natal, Brasília, Maringá e São Paulo. Hoje, segundo a ITF, o Brasil é a segunda maior força do mundo neste esporte, atrás apenas da Itália, o país criador da modalidade.

Atualmente a Confederação Brasileira de tênis é a entidade que regula o esporte no país. Apesar do esporte ser relativamente novo no Brasil, o país já conseguiu resultados significativos como o terceiro lugar no Campeonato Mundial em Ravenna (2008), o primeiro lugar na Copa das Nações em Aruba (2010), campeão no mundial por equipes (2013), campeão mundiais na Cervia (2016), campeão Sul-Americano (2014) e campeão Pan-Americano (2014, 2015, 2016 e 2017). Em 2017 foi realizado o maior evento de beach tennis no mundo, em Niterói, que contou com a participação de 700 atletas. Teve chaves de amadores e profissionais, valendo, para esses últimos, pontos no ranking mundial da ITF.

O sucesso do beach tennis no Brasil e no mundo deve-se pela facilidade com que uma pessoa aprende a jogar e pela diversão que ele proporciona mesmo para quem nunca praticou antes. Além disso, é uma excelente opção para quem quer melhorar o condicionamento físico e cuidar da saúde. Fonte: cbt.com.br

www.aloesporte.com

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui