Wpresley Jorge lê a escalação das equipes Gurupi x Tocantins de Miracema na final do Tocantinense 2016, no Estádio Castanheirão – Fotos: Arquivo Pessoal

Conheça a carreira de Wpresley Jorge na música e na crônica esportiva tocantinense

Conheça a carreira de Wpresley Jorge na música e na crônica esportiva tocantinense. Wpresley Jorge de Sousa, popularmente conhecido como Wpresley Jorge, natural de Gurupi, nascido no dia 11/03/1971, é um apaixonado pela crônica esportiva, além de cantor e vocalista da banda de Baile “BANDA ECLIPSE”.

Como tudo começou
Wpresley Jorge faz questão de dizer que nasceu em casa mesmo, vindo ao mundo pelas mãos da parteira Maria da Luz, no Setor Aeroporto em Gurupi, que até então, era Norte de Goiás. É o primeiro filho do casal Bertulino Jorge de Oliveira e Anália Alves de Oliveira, que depois teriam mais duas meninas, Cláudia Maria Jorge de Sousa e Vanusa Jorge de Sousa. “Infelizmente, meu pai faleceu no dia 5 de novembro de 1980, vítima de um AVC, deixando minha mãe com três crianças, onde o mais velho era eu que ainda faria nove anos”, comentou.

Wpresley Jorge no palco mostrando seu talento como cantor e uma das várias apresentações musicais

Goiânia
Ele recorda que uma tia que morava em Goiânia (Go), acabou o levando para a capital goiana para estudar e morar com ela, isso no final de 1981, com objetivo de ajudar sua mãe a suportar aquela situação, ou seja, ajudar a carregar aquele fardo, que a cada dia se tornara, mas pesado para aquela recém viúva.

Lá o gurupiense estudou em boas escolas públicas, como Colégio Bandeirantes e Deputado José de Assis. E foi justamente pela proximidade da Copa do Mundo de 1982 e, por ter sido jornaleiro do jornal Folha da Manhã, entregava jornais nas proximidades da Serrinha, sede do Goiás Esporte Clube que foi se apaixonando pelo esporte, em especial o futebol.

Intimidade
Wpresley Jorge conta que ali em diante foi pegando intimidade com o pessoal e teve a oportunidade de ingressar nas categorias de base do Goiás como goleiro, onde tive convivências com o arqueiro Edson, com volante Luvanor, o então ponteiro direito Cacau e outros que formavam aquele grande time que era o Goiás na época. “Mas o marido da minha tia não gostava de futebol e, principalmente, pela minha baixa estatura não vingou minha carreira no Goiás”, recordou.

Vascaíno
Mas ele já era um assíduo ouvinte de rádio, junto com seu pai, vascaíno, onde herdou a paixão pelo Gigante da Colina, e acompanhava as transmissões de José Carlos Araújo, Heraldo Leite (que teve o prazer de conhecê-lo pessoalmente), que acompanhava pela Rádio Globo e como ele não tinha vingado como jogador, passou a acompanhar as notícias dos clubes pela rádio Brasil Central onde teve o prazer de conhecer e aprender muito com ele, Ademar Costa.

Gurupi
Em 1987 de volta a Gurupi, já nas proximidades da reforma constituinte que dividiria o Estado de Goiás no paralelo 13 e criaria o Tocantins começou a se destacar como goleiro de futsal nos campeonatos estudantis. Isso fez com que times do futebol amador cogitassem sua migração para o futebol de campo, onde os gramados eram escassos. “Não hesitei e, embora tivesse proposta de outros clubes grandes da época, como Independente e Olaria, bairrista como sou, optei por defender as cores do time do meu Bairro que nasci e moro até hoje, Aeroporto Esporte Clube”, explicou. Wpresley entrou na categoria Juvenil, em pouco tempo era titular do Juniores e do time principal.

Wpresley recorda que quando dividiu de fato o estado de Goiás e criou-se o Tocantins, chegou a ser convocado para a seleção tocantinense, porém, trabalhava em máquina beneficiadora de arroz e seu patrão não o liberou para disputar um torneio seletivo representando o Tocantins.

A famosa Copa do Craque, que este ano de 2020 completou 34 anos, Presley teve o prazer de disputar como goleiro titular do Aeroporto Esporte Clube, nas quatro primeiras edições. Hoje como cronista esportivo já transmitiu 13 finais desta competição renomada do Estado do Tocantins.

Músico e cantor
Desde 1988 começou a tocar violão. Quando terminavam as partidas a “gente fazia as resenhas e tocávamos violão”. Até que em 1990, um amigo, Silon Santos, hoje diretor de Cultura de Gurupi, o convidou para participar de um show com ele, dai tomou gosto pela coisa e nunca mais parou. “Fui obrigado a deixar o futebol para não quebrar os dedos, pois todos sabem que treino de goleiro é muito pesado e é normal contusões nos dedos, as quais precisariam para tocar. E foi assim que o atleta deu lugar ao músico e cantor”, explicou.

Em 1995 tocando uma temporada como baixista em Goiânia, se desentendeu com uns companheiros e resolveu sair da banda e parar com a música. Os companheiros voltaram para Gurupi, porém, Presley ficou lá em Goiânia novamente. Foi trabalhar de serviços gerais em uma fábrica de refrigerante, a Big Boy, onde logo evoluiu para operador de empilhadeiras, ficando na empresa até final de 1997.

Bicos
No início de 1998, quando fazia alguns “bicos” enquanto recebia seguro desemprego, recebeu uma proposta do mesmo Silon Santos, para tocar contrabaixo e sua banda no Carnaval de Lagoa da Confusão. Assim aceitou e retornou a Gurupi, a princípio só para o Carnaval de 1998, porém, depois do evento Santos o fez uma proposta de regressar, pois teria campanha política e ele já estava contratado para fazer showmícios na campanha do então candidato Igue do Vale que no fim se tornaria deputado estadual.

Assim, Wpresley resolveu aceitar a proposta e recebeu um fusca de entrada e arrumou um caminhão para buscar sua mudança. “O tempo todo, durante esses anos, eu ouvindo rádio esportivo, mas agora é a radio K do Brasil, que era do Jorge Kajuru, qual eu sou fã dele e de sua equipe os feras do Kajuru”, ressaltou.

Crônica esportiva
Quando foi em 2007, Presley conta que ouviu uma transmissão do jogo entre Palmas 0x7 Atlético Mineiro pela Copa do Brasil, e ficou fascinado com os colegas Chico Chokolate, Paulo Albuquerque e Edmar Rodrigues, que fizeram aquele trabalho que ele achava maravilhoso e que dentro das condições, não deixava a desejar nada do que já tinha ouvido até então.

Segundo WPresley, ali despertou o interesse de fazer parte da crônica esportiva, por me achar qualificado para tal, porém, ficou com medo do povo o chamar de invejoso, só porque o Chico Chokolate é Cantor e Cronista e ele também querer ser, disse que ficou sem graça, mas passou a acompanhar o trabalho deles de perto e ir aos estádios sempre com seu radinho.

Viajava as cidades perto acompanhando, mas um dia, pegou uma carona com a equipe para ver um jogo em Palmas no Nilton Santos. “Houve um imprevisto no caminho e chegamos atrasados daí vendo o desespero da equipe, enquanto Edmar Rodrigues montava o equipamento de transmissão, corri e peguei as escalações, arbitragem, organizei para repórter, narrador e comentarista. Vendo meu desempenho me convidaram para fazer parte da equipe, da qual aceitei prontamente”, comemorou.

Repórter
Certo dia no estádio Resendão em Gurupi, um jogo entre Gurupi e Interporto, o Narrador Miguel Rodrigues chegou sozinho para fazer a transmissão e pediu um repórter, foi aí que Edmar Rodrigues disse, que tinha um que estava começado, mas daria conta e foi assim que aconteceu sua estreia como repórter de campo com hoje, seu grande amigo o narrador Miguel Rodrigues.

WPresley destaca que desse dia nunca mais parou tomou gosto pela crônica esportiva e começou a fazer o programa Espaço Esportivo, na época na Rádio 95 FM, hoje atua na Rádio Nova FM em Gurupi. “Tenho uma carreira solo como cantor e sou vocalista da banda de Baile “BANDA ECLIPSE”, destacou.

Com a “BANDA ECLIPSE”, Além de várias cidades do Tocantins, como Palmas, Porto Nacional, Araguaina, Arraias, Dianópolis, Miranorte, Gurupi é claro, e várias outras, também já fez shows nos estados de Goiás, Pará, Maranhão, Bahia e Distrito Federal.
Como cronista esportivo, de 2008 pra cá, acompanhou o Gurupi Esporte Clube em todas as competições que participou; Copa do Brasil de 2010, no Estádio Durival de Brito, em Curitiba (PR), contra o Paraná Clube; Em 2011, Copa do Brasil contra Atlético (GO), no Serra Dourada, em Goiânia, e em 2013, Estádio Independência contra América Mineiro e, 2017, no estádio Arena Joinville, em Joinville (SC).

Narrador
Já o Campeonato Brasileiro Série D, trabalhou como narrador em Boa Vista (RR), Baré x Gurupi. Em São Luís do Maranhão, Estádio Nhozinho Santos, MAC x Gurupi. Em Manacapuru (AM), Estádio Olímpico, Princesa do Solimões x Gurupi e Manaus, Estádio Arena da Amazônia, esse jogo como repórter tendo Rogério Rodrigues como narrador Fast Club x Gurupi.

Atuo hoje como editor de áudio, texto, repórter, narrador e âncora do programa Revista 104 que vai ao ar de segunda-feira à sexta-feira, das 7 as 9 horas, na Radio Nova FM. Foi candidato a vereador em Gurupi no pleito passado, mas “brinca” ” foi uma votação pífia, mas fui candidato”, finalizou.

Perfil
Nome: Wpresley Jorge de Sousa
Apelido: Wpresley Jorge
Data de nascimento:11/03/1971
Onde nasceu:Gurupi
Ídolo no futebol: Não tenho um só, acho muito plural o futebol Brasileiro. Gosto muito de cada um eu sua época, claro, os que vi jogar.
Posso citar, Roberto Dinamite, Zico, Careca, Romário, Ronaldinho Fenômeno e Gaúcho

www.aloesporte.com

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui