Capital Futebol Clube – campeão da Segunda Divisão de 2019 – Divulgação (João Lino Cavalcante)

Capital pede afastamento de suas atividades profissionais e solicita à FTF para não sofrer punição

Capital pede afastamento de suas atividades profissionais e solicita à FTF para não sofrer punição. O Capital FC desistiu de disputar o Campeonato Tocantinense 2020, que está marcado para ter início dia 25 de janeiro https://aloesporte.com/campeonato-tocantinense-profissional-comecara-dia-25-de-janeiro/, mas em nota enviada à Federação Tocantinense (FTF) solicita quer a entidade não puna o clube e explica os motivos desta decisão. E o presidente do clube, Ricardo Carreira Ricanato, por telefone, falou ao vivo no programa CBN Tocantins Esportes de hoje (10), para explicar os motivos que o levaram a tomar tal decisão.

Vale destacar que o Facebook Reinaldo Cisterna e Face Alôesporte haviam dado a notícia ontem (9) no início da tarde, antes mesmo da diretoria enviar uma nota oficial, e mais de 70 pessoas se manifestaram a respeito desta decisão do clube. https://www.facebook.com/reinaldo.cisterna.5

Segundo Carreira, a grave crise econômica do mercado impossibilita os investimentos que eram feitos em anos anteriores. Ela destaca a falta de apoio dos governos municipal e estadual, seja de forma direta ou indireta através de mecanismos legais como a Lei do Incentivo ao Esporte, inexistente no Estado e não implantada no município até hoje.
“Ontem anunciei uma das decisões mais difíceis que tive que tomar nos últimos anos. O afastamento das atividades do @capitalfc junto à FTF. Muito difícil trabalhar anos em um projeto e ter que recuar em um momento que aparentemente as coisas estavam indo bem”, explicou o dirigente em sua rede social.

Além da grave crise econômica, Ricardo cita vários outros fatores como impossibilidade e falta de interesse das empresas em patrocinar o futebol me nosso estado; os altos custos da disputa de campeonatos que não trazem retorno financeiro algum. “Enfim, poderia elencar vários outros mas isso já ilustra um pouco o cenário enfrentado nos últimos anos”, comentou.

Chateado com a situação, o dirigente pediu desculpa aos torcedores que apoiaram e acreditaram no clube todos esses anos e também mencionou os que criticam os resultados negativos e torcem contra. “O o meu perdão, vocês não imaginam o quanto é difícil remar contra a maré.

A minha família e amigos eu agradeço por sempre acreditar, apesar de não fazer muito sentido para alguns toda essa loucura. É assim, a vida ensina. É dar um passo pra trás para poder dar dois pra frente depois. Que assim seja.Feliz 2020; finalizou Ricanato.

Além da desistência do Capital, outro clube, o Sprta já havia manifestado no dia 20 de dezembro que não disputaria o campeonato https://aloesporte.com/47701-2/ 

Capitão Ederson recebe o troféu das mãos de Leomar Quintanilha e outros dirigentes – a  conquista da Segunda Divisão de 2019 – Divulgação (João Lino Cavalcante)

Nota Oficial

Capital Futebol Clube protocola nesta quinta-feira, 09 de janeiro de 2020, ofício junto à Federação Tocantinense de Futebol (FTF) solicitando a criação da “Licença Exclusiva de Base”, que autoriza o regime especial de participação exclusiva nas competições das categorias de base.

A proposta segue uma nova tendência nacional, como na Federação Paulista de Futebol (Resolução nº 29/2019), que possibilita às equipes reduzir os altos custos provenientes das competições profissionais, viabilizando maiores investimentos nas categorias de base.

A iniciativa do Capital Futebol Clube visa fortalecer o trabalho de formação de jovens atletas, foco da equipe rubro-negra desde sua fundação. De todo o investimento feito nos últimos oito anos, cerca de 80% foi direcionado à categoria profissional na disputa de 5 edições da 2ª divisão e 2 edições da 1ª divisão.

Outro fator importante é a grave crise econômica enfrentada pelo nosso país, que afetou em cheio o maior apoiador do clube, que precisou promover uma diminuição gradual no investimento em esporte, e consequentemente em acumulo de dívidas do clube com alguns fornecedores.

Por fim, o Capital FC solicita o afastamento do clube de suas atividades profissionais, sem ser penalizado com a multa prevista em regulamento, tendo em vista não ter assinado ainda a carta de adesão da 1ª Divisão 2020, porém sem deixar de ter direito de participar das competições de categoria de base.

www.aloesporte.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui